Até um Guerreiro tem vontade de Desistir.

Até um guerreiro tem vontade de desistir…

Todos esperam inclusive do próprio guerreiro que a sua força nunca acabe mas ele é um ser humano e também tem limites.
Todos esperam dos outros aquilo que tantas vezes não têm coragem de esperar de si.
Além de que muitas vezes são colocadas expectativas nesse guerreiro infindáveis que o levam a tentar superar situações que não precisam de superação precisam apenas de se libertar.
Na maioria das vezes expectativas que ele próprio criou dentro de si e que não quer defraudar perante os outros mas, a verdade é que o maior guerreiro é aquele que sabe que existem momentos em que é preciso parar reflectir e olhar para si, perceber qual o seu limite e se lhe faz sentido continuar esse caminho ou puramente e simplesmente mudar de trajectória.

O problema é quando o guerreiro se levou de tal maneira ao limite que em vez de mudar a rota pretende apenas e tão simplesmente desistir e não estamos a falar do seu caminho, mas também de si.


Há cerca de 22 anos conheci uma mulher, tornámo-nos amigas e a amizade passou por diversos momentos com altos e baixos até pelas próprias vicissitudes da Vida.
Ela sempre foi uma pessoa super conservadora tanto pela sua própria educação, mas acima de tudo por aquilo que esperavam dela, isso fez com que na maioria das vezes não fosse ela mesma não vivesse a sua plenitude o seu SER.
Sempre foi muito divertida, mas o seu conservadorismo não a permitiu viver-se no seu maior estado. Mas assim como a ela, acontece a muitos de nós a diferença está no momento do DESPERTAR uns despertam mais cedo, outros mais tarde e outros nunca despertam.
Mas mesmo quando despertamos existe a dificuldade do AGIR, perante isso afinal de contas é quase uma reconstrução total uma recuperação de nós perante o mundo e acima de tudo perante aquilo que construímos á nossa volta.
Mas, perto de fazer 40 anos decidiu que ia deixar toda a sua vida, casa, família, emprego, TUDO e ia para um pais diferente completamente sozinha e à descoberta.

Sei o que estarão a pensar “ah não deve ser bem assim” – mas é. Foi sem trabalho, para casa de uma amiga de uma amiga que não conhecia que a acolheu durante uns tempos formidavelmente e nem sequer sabendo a língua foi à procura de um trabalho de uma vida melhor que a arrancasse das limitações vividas até então (de uma vida regrada, de um salário mínimo, dos seus conceitos e preconceitos, das suas crenças).
Poderia estar aqui a falar de tudo o que ela fez e acreditem até eu fiquei surpreendida MESMO porque o seu mais alto nível de conservadorismo jamais lhe permitiria fazer algo do género num pais que não é o seu… começando por sair do seu próprio pais mesmo contra vontade da maioria dos que lhe eram próximos.
Trabalhou em tudo o que se possa imaginar, vive com pessoas que não conhece de lado nenhum, ultrapassa todos os dias diversas crenças mas dispôs-se, dispôs-se verdadeiramente a fazê-lo.

Se tudo corre bem? Nem sempre. Mas o que deve ser valorizado? A vontade de ser sem dúvida a melhor versão de si mesma, de se superar e isso é indescritível.
Todos adoramos apontar o dedo, dizer o que achamos, e o que deveria ser feito, ou até que faríamos melhor, mas será que faríamos, será que fizemos?

Falar é fácil, mas é de AGIR que precisamos.

Hoje ela falou comigo está cansada, longe da família, a época natalícia aproxima-se e naturalmente isso quebra sempre o lado emocional.
Um guerreiro também pode querer desistir, deve poder desistir, deve puder mudar de rota, de caminho, ele mais que ninguém tem esse direito, e tu minha Amiga tens esse direito.
De te chegares ás “boxes” encostares o carro, dares dois gritos e dizer que agora precisas de descansar, para depois continuar, esse é o verdadeiro guerreiro aquele que não simula que não mente que é sincero consigo.

Parabéns. És um exemplo.

E tu és um exemplo? Não para os outros mas para TI? Este é o momento de AGIRES.

 

Vanda Santos

Coach Transformacional – Facilitando transformações inclusive a sua 🙂

Sê o primeiro dos teus amigos a partilhar esta página!
  • 40
  •  
  •  
  •  
  •