2018

Já disse que adoro Ano Novo e adoro planear as metas, os sonhos e objetivos. Esta mania de planear tudo vem desde que me conheço por gente e não passou com o tempo, ao contrário refinou e aprimorou. Mas é fato que para dar conta de ser eu, esposa, mãe, profissional, irmã, filha, amiga, cozinheira, motorista, assistente de filhas, voluntária e companhia, se não houver agenda e planeamento simplesmente não acontece nada. Então, se para você a vida anda difícil e não encontra tempo, fica a sugestão forte de: organiza-te!

Compra uma agenda, um caderno, use um aplicativo, o que for mais fácil para você e anote tudo o que quer, quando quer e como quer, e comece aos poucos, mas comece todos os dias, verifique todas as semanas…enfim, comprometa-se!

Quando me perguntam o que é mais difícil numa terapia, além de mudar hábitos alimentares, é o comprometer-se consigo mesmo. Se conseguir responder quando foi a última vez que começou e foi até o fim de um tratamento, de uma escolha, de um curso ou aprendizado? Quando foi a última vez que fez algo por você simplesmente porque sim? A cada pergunta, a sua cabeça deve dar mil voltas, e isto porque é fácil fazermos para os demais tudo o que for caso disto, mas e onde está o seu tempo para si mesmo?

Não pense que comigo é diferente, preciso de me recordar todos os dias que posso ir além em tudo, mas que tenho que manter-me como centro da minha vida e das minhas escolhas, do contrário a casa cai. E como uma casa cai? Basta adoecer, ficar triste e sem motivação ou energia para as mil e uma solicitações que temos que corresponder enquanto pessoas, profissionais e pais. A vida não pára porque adoecemos, ela segue em frente e depois quem tem que correr atrás, somos nós. Para procurar equilibrar o dar e receber, existe o ser e o estar centrados em nós, nas nossas capacidades, sonhos e limites. Qual é o seu limite, até onde vai para aprender a dizer sim e dizer não?

Com tudo isto em mente, comece o seu ano olhando para o que de fato interessa: saúde física, emocional, mental e espiritual. Comer melhor é uma meta ótima, mas se mudar radicalmente não vai dar conta disto por mais de dois meses, se chegar aí. Então comece por reduzir o que sabe que lhe faz mal, os excessos que comete, ou busque mesmo um profissional que ajude a montar uma ementa ideal para os seus objetivos, acredite vale a pena fazer tudo com pés e cabeça. Cuidar de ser feliz é outra meta que ouço sempre, mas se não souber quem é, como saber o que o faz feliz?!?! Então, de novo, pare e faça tudo devagar, olhe para dentro e para fora, procure por quem é, mas sem enlouquecer. O que quero que entenda é que, seja o que for que queira fazer, é preciso que seja por etapas, que seja bem pensado e que tenha os apoios necessários para não desistir ou dar em doido.

Da minha parte, este ano resolvi colocar-me alguns desafios, porque sair da zona de conforto é importante, faz-nos conhecer melhor os nossos limites e enfrentar as nossas “sombras”. Então vou parafrasear um anúncio: “o meu bastão aponta para sudoeste…”, isto porque este ano faz parte dos meus planos percorrer a Costa Vicentina aos poucos, já que a vida tem tantas solicitações que é preciso organizar a agenda pessoal, profissional e familiar para dar conta de tudo que gostava de fazer ou do que quero fazer. Caminhar é o meu santo remédio, então porque não o fazer de forma a unir diversão e turismo?! Reunir solidão e família?!?! Há muitas atividades e escolhas que podemos ter que envolvam várias áreas das nossas vidas, isto é uma forma de simplificar e otimizar tempo e metas.

É disto que falo, de organizar para poder dar conta de tudo sem sobrecarregar-se ou sobrecarregar quem quer que seja, planear a vida é olhar para si e para os demais e ver o que cada um pode ou quer dar como contributo para o bem maior de todos ou do percurso. Quando se estabelece uma meta ou um objetivo, é preciso esmiuçar o mesmo para poder ter claro os prós e contras, os acertos e os desvios necessários para que se conclua algo. Ser realista porque se precisar de dinheiro vai ter que poupar, se vai precisar de tempo vai precisar de uma rede de apoio seja familiar ou de amigos, e não adianta chegar na última da hora e querer que ajudem ou que Deus envie uma mala de dinheiro, porque nem Deus pode fazer o que lhe cabe. Isto precisa ficar claro, toda meta exige compromisso, atitude e clareza, porque sem isto é só mais uma forma de se boicotar e de se iludir, gerando um sentimento de frustração e baixo estima gigantes. E quem ganha com isto?!?! Só se estiver a gostar do papel da vítima e aí é outra coisa.

Para 2018 que se possa viver mais o que se quer de fato, começando devagar, mas de forma consistente e contínua, porque merecemos viver bem, sermos felizes em todas as pequenas e grandes coisas da vida, só precisamos de começar a dar os primeiros passos com metas, organização e comprometimento.

Bom ano!

Jaqueline Reyes

Sê o primeiro dos teus amigos a partilhar esta página!
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.