Aceitação

Depois de anos trabalhando sobre “verdades” tais como o amor cura, criamos nossa própria realidade e etc. De repente veio-me uma luz sobre todas estas “verdades”, e quis compartilhar com vocês.

Entendi que a chave para a “cura” passa pela nossa aceitação da “doença”, do “problema”, da “pessoa”, do que isto nos quer “dizer”.
E quando digo aceitação, não estou falando de submissão ou de qualquer atitude do tipo “deixa estar” e não pensamos mais nisto até que nos doa tanto que somos obrigados a olhar de frente para o “x” da questão.

A aceitação deve vir da compreensão de que somos mais do que seres humanos. Somos almas que no momento escolheram habitar um corpo humano para poder experimentar “novas” ou “diferentes” formar de viver a vida, de viver Deus em nós.
Quando a aceitação passa pela compreensão, começamos a ver as nossas “lições”, escolhas, com mais amor e menos apego.
Entendemos que tudo é uma questão de escolha. Tudo o que nos acontece é por obra da nossa escolha, seja qual for a situação, o sentimento, a vida que levamos.
Você deve estar se perguntando, se o drogado ou o aleijado, se o algoz ou até mesmo a vítima escolheram viver esta ou aquela cena, então onde entra o karma, o dharma, Deus e tantos outros seres de luz?!

Bem, para começo, Deus e os seres de luz, respeitam o nosso direito inato de vivermos o livre arbítrio. Quando muito eles nos aconselham a tirar melhor proveito disto ou daquilo consoante o que escolhemos viver. E tanto o karma quanto o dharma estão relacionados com o que desejamos viver. Estas leis são tão mutáveis quanto podemos aceitar. Porque se vemos a dor como um karma, então será um. Se vemos a dor como um dharma, então será um. A diferença básica está em como aceitamos viver a experiência chamada dor, se com passividade amorosa ou com rejeição e raiva.
Se partimos do princípio que Deus É tudo e Está em tudo, então todos estamos vivendo a experiência de sermos Deus em acção, e nada mais é certo ou errado, as ilusões sobre estas dualidades deixam de existir.

Neste momento, damos os primeiros passos para vivermos a verdadeira aceitação, e começamos a trilhar o caminho da cura que nos leva a sermos de novo os responsáveis pelas nossas vidas na Terra. Somos nós quem “dizemos” esquerda ou direita, para cima ou para baixo. Quem está sofrendo pode simplesmente resolver deixar de sofrer, quem está feliz pode também optar por ser triste. E ambos viveram a outra face das escolhas anteriormente feitas.

A realidade é uma ilusão, a dor é uma ilusão, a alegria é uma ilusão, o tempo é uma ilusão…e isto já diziam os avatares que aqui vieram viver a mesma experiência que hoje nós vivemos.
De repente, o que antes era dúvida e anseio, hoje vejo como uma escolha. Experiemente por um minuto que seja, pensar e agir como se tudo fosse uma ilusão e como ilusão que é, tudo fosse mutável conforme você assim o quisesse. O que você faria ? Onde estaria ? Como seria ? Qual seria a sua escolha ?

Aprendi, que por mais que eu saiba e sinta isto como uma verdade, esta é a minha verdade e quando muito posso tentar colocar em palavras aquilo que aceito como a mais maravilhosa das chaves para a cura e a felicidade de ser um dos muitos eus que posso ser.
Aprendi também que por mais que me seja ainda difícil de aceitar as escolhas das pessoas a quem amo, estas escolhas são a melhor experiência alguma vez vivida por eles. E que eles não são as suas escolhas, eles são almas em corpos humanos.
Que a sua experiência nesta vida, seja tão maravilhosa e rica quanto você estiver disponível e disposto para isto.

Jaqueline Reyes

Sugestão de leitura sobre o tema :
Em Busca da Espiritualidade – James Van Praagh
Gestos de Equilíbrio – Tarthang Tulku
O Poder está dentro de si –Louise Hay
Escuta o teu corpo – Lise Bourbeau
Tudo pode ser curado – Sir Martin Brofmann
Anatomia do Espírito – Caroline Myss

Spread the love