Tertúlias com Sabor: Favas Vegan à moda de Trás-os-Montes

Semeadas lá para os finais de outubro, em terreno protegido de ventos, bem iluminado pelo Deus Sol.

Gostam de frio e aproveitam, de forma magistral, as chuvas do inverno

Enterram-se a 3 dedos de profundidade e a um palmo de distância (a chamada distância social).

O mistério da vida vai-se mostrando. A planta cresce até cerca de 1 metro de altura e lá para Maio, é altura de colher as vagens.

E aí estão elas, as fabulosas favas, cheias de potencial.

Sabiam que são consideradas o ‘adubo verde’?

Têm uma enorme capacidade de captar o azoto e fixa-lo na terra. Desta forma, após a sua colheita, o solo está mais adubado, do que quando foram plantadas. Não é fantástico?

Podemos poupar, se consumirmos produtos da época, nomeadamente frutas e legumes.

Se juntarmos a isto, a preferência por produtos nacionais, estamos a dinamizar o nosso mercado, os nossos produtores e a reduzir substancialmente a necessidade de transportes longos.

E claro, consumidas na sua época, podem dar-nos mais nutrientes e mais sabor.

Por tudo isto, escolhi para este mês um prato de favas. Típico português, mas sem carne.

Querem espreitar?

Ingredientes

  • Favas frescas, 2 quilos (a descascar)
  • Chouriço de seitan, 1/2
  • Chouriço de soja, 1/2
  • Alheira de cogumelos 1
  • Cebolinho fresco a gosto
  • Coentros frescos a gosto
  • Azeite, 3 colheres de sopa
  • Cebola picada, 1 média
  • Alhos picados 2 dentes
  • Folha de louro 1
  • Tomate fresco maduro, 2 médios
  • Malagueta a gosto
  • Sal
  • Água a ferver qb
  • Amor, a gosto

Preparação

Refoga-se, no azeite, a cebola com o alho, o cebolinho cortado, a folha de louro e a malagueta. Acrescenta-se o tomate sem pele e cortado em pedaços. Quando a cebola estiver ligeiramente dourada, acrescentam-se os enchidos, sem pele e cortados em rodelas. Cozinham-se durante 5 minutos, retiram-se e reservam-se.

Acrescenta-se um pouco de água a ferver e as favas sem casca. Tempera-se com sal e deixa-se cozinhar até as favas estarem macias.

No final, juntam-se os enchidos que estavam reservados, os coentros grosseiramente cortados e retificam-se os temperos.

A cozinha está aromatizada e as nossas favas prontas para serem degustadas.

Um prato incrível e de confeção simples.

Vamos lá aproveitar o melhor da natureza.

Acompanhámos com um tinto, touriga nacional.

Bom apetite!

Paula Castanheira

Spread the love
  • 3
    Shares