Fotos que Falam: Dente-de-leão!

Contem-me. Como está a vossa destreza?

Pedir 12 desejos,

Contar doze passas

Subir ao banco

Abrir a garrafa de champanhe

Comer as passas,

Ah, tudo ao pé-coxinho

brindar ao novo ano… abraçar!

Conseguiram fazer tudo isto, à meia-noite, do dia 31 de Dezembro?

Eu treino há anos, mas confesso-vos, contínuo sem conseguir, dar alguma harmonia a este ritual.

Mas talvez desta completa desarmonia, nasçam as primeiras gargalhadas do ano, que acaba de nascer.

Deseja-se saúde, amor, paz, dinheiro. Deseja-se transformar a energia do fogo-de-artifício, em força interior…

Queremos que a alegria daquele momento fique em nós, para sempre. Rimos, dançamos, meditamos, beijamos, choramos e os minutos sorrateiros, passam velozes por tantas emoções e quando lhe voltamos a dar atenção, já o ano que era acabado de nascer, gatinha veloz, sem olhar para trás!

Quantos já sopraram um dente-de-leão?

Viagem imprevista à infância?

Fantástico! Deixem-se ficar por lá um pouco. Vejam-se nas correrias e nas brincadeiras, nos raspanetes e na inocência.

Não havia grande passado para recordar e o amanhã era distante, tão distante, que não nos ocupava tempo e então eramos presente. As horas preguiçosas, tornavam longos, os dias e os joelhos iam somando marcas, de tombos de criança.

Convido-vos a colher carinhosamente um dente-de-leão. Agora sentem-se e observam a bola de algodão que seguram entrem os dedos.

(Consigo ver-vos um sorriso)

Parece lua?

Mas já foi sol!

Oráculo, superstição

Energia, otimismo

Renascimento, mudança

Viagem, liberdade

Sementes presas,

Um sopro suave

E eis que se soltam!

Primeiro a medo

E de repente…

Liberdade!

Espalham-se pelos ares

Levam desejos

Retornam sonhos.

É o sopro da esperança

Traz ventos de mudança!

Que entrem incertezas

Que a magia do universo

nos traga surpresas!

Agora levantem-se.

Muito importante, mantenham esse sorriso. Por favor, nunca o percam de vista, vai ser vosso companheiro, na jornada que se avizinha.

Vamos trabalhar?

É hora de tirar os fantasmas do armário, dar-lhes uma boa sacudidela, pô-los ao sol!

Já que vamos sacudir, aproveitemos para sacudir ódios e raivas, medos e rancores.

Os dias ficarão mais leves, o coração mais solto. Estaremos mais aptos para perceber cada ensinamento, para agradecer cada bênção.

Todos os momentos são bons para renovar esperanças, mas deixemo-nos embalar pela energia boa, que nos traz cada novo ano.

Que seja pois, este ciclo, um período de descobertas, muitas descobertas!

Recomeço!

O ano ainda agora dá os primeiros passos, e acreditem, já grandes desafios me esperam, é o Universo a lembrar-me que não posso parar de lutar pela minha felicidade, pela minha paz.

Se tenho medos?

Claro que sim!

Mas estou cheia de força e sei que amanhã, vou olhar para trás e agradecer mais este revés no meu caminho.

Que 2020 vos leve, nas asas dos sonhos!

Ângela Rego (Foto)
Paula Cristina Castanheira (Texto)

Spread the love