Com a Primavera: Abre-te ao Novo

Mais um ciclo está quase a iniciar, mais uma Primavera…ainda parece que foi ontem que o ano iniciou e tanta coisa já aconteceu, tantas bênçãos e também tantos desafios!

É tempo de reflectir no que verdadeiramente importa, é tempo de reflectir no que queremos que floresça em nós. Quais são os projectos, os relacionamentos, os objectivos que queremos ver florescer?

Tira uns minutos e coloca tudo isso num papel, num lugar onde possas olhar para eles sempre que desejares, sempre que queiras entrar em contacto e quiseres deixar vir até a ti a energia da criação, o poder de manifestação que reside em ti mesmo.

Muito provavelmente ao realizarmos este pequeno gesto tão poderoso, algumas resistências vão surgir, e quem sabe até algumas frustrações pelo que já queríamos ter alcançado e ainda não conseguimos. As metas e expectativas que colocamos em nós e nos outros. Ai pode surgir a frustração. Esse sentimento pode levar-nos a duvidar e é legitimo, muito embora o que hoje tenho para te propor é que confies e que te conectes com o tudo o que já alcançaste, com tudo o que tu és e com tudo o que tu podes ser!!

Por isto hoje trago-te uma Meditação Sistémica inspirada numa meditação do próprio Bert Helinger para que possas abrir-te ao novo, à felicidade, mas acima de tudo que nunca duvides de tudo o que tu és capaz, de ser e fazer! Esta meditação irá permitir-te soltar tudo o que ainda possa existir em ti que te esteja a impedir de manifestares todo o teu potencial.

Meditação Sistémica

Senta-te num local sossegado, onde saibas que não vais ser interrompido, onde te sintas seguro e confortável. Fecha os teus olhos e faz três inspirações e expirações profundas;

Permite a cada inspiração e expiração sentires conectado contigo mesmo, sentindo-te totalmente presente para ti;

Por instantes reflecte, indaga a ti mesmo: Trabalhei o suficiente? Fiz o suficiente? O que alcancei? Diz para ti: Agora vou percorrer o Mundo.

Imagina-te num lugar ao ar livre, no teu local sagrado, sente o quanto tu és livre. Vais seguindo por um caminho, vais seguindo em frente até visualizares uma ponte, atravessas essa ponte e chegas a uma paisagem aberta e aí respiras profundamente.

Ai tudo é amplo, tudo é tudo.

Segues caminho. Depois de um tempo a andar ao fim desse caminho dás-te conta que termina com um rio. Perguntas-te, o que faço? Regresso? Atravesso?

Pensa e reflecte no movimento que te surge. Porém olhas para a outra margem e vês tudo o que pensavas inalcançável, vês tudo o que gostarias de fazer e ai pensas…e dizes para ti, DEIXO O TUDO PELO TODO. Então tiras a tua roupa, tiras tudo o que trazes contigo, fazes dela um embrulho e atravessas o rio.

Ao chegar à outra margem deitas-te ao Sol e deixas que te seque, que te aqueça. De imediato sentes algo que ainda nunca tinhas sentido, algo te chega que tu até então não sabias o que era e dizes para ti: ESTE É O MEU LUGAR.

Neste lugar de completude tu olhas-te, sem te deixares distrair pelo que foi, nem por aquilo que virá. Quando pensamos no passado deixamos escapar o presente, o instante. No instante temos o todo.

Então permite-te desfrutar do instante.

Agora livre de tudo o que não serve mais, de todo o medo, de toda a expectativa e frustração sentes-te cada vez mais em sintonia com o todo, com todos e alcanças uma felicidade interna uma plenitude que te permite alcançar tudo o que desejas.

Com esta felicidade vais inspirar e expirar profundamente três vezes e regressar normalmente ao momento presente e abres os teus olhos. (Bert Hellinger)

Desfruta deste momento para ti.

Feliz Primavera

Ana Sofia Correia

 

 

Sê o primeiro dos teus amigos a partilhar esta página!
  • 7
  •  
  •  
  •