Natal – Sinónimo de compromisso e respeito!

Há no mês de dezembro uma magia mesclada com nostalgia, sonhos com saudades, alegria com tristeza, é um daqueles meses onde tudo parece ter outro peso ou outro sabor. É um mês onde também se “adoece” mais porque as emoções estão ao rubro quer pela positiva quer pela negativa, e por isto resolvi escrever sobre algo que para mim é fundamental: respeito pelo ser humano.

Quando falamos de ser humano sempre pensamos nos jovens, nas crianças e pouco nos idosos, e nem vou comentar que poucos se lembram que ainda que adultos também são seres humanos, e por isto mesmo o respeito começa por nós e se estende para os demais. Como respeitar o outro sem que se saiba o valor do autorrespeito? Como pedir a uma criança que respeite os mais velhos se a desrespeitamos quando não acolhemos suas escolhas ou sentimentos? Como pedir a um idoso que nos respeite se não respeitamos seus limites e limitações?

Há muitas tradições em várias etnias que para mim fazem todo o sentido, mas que andamos a perder com o passar do tempo e isto é mesmo triste, já percebeu que por alguma razão consumista privilegiou-se o jovem adulto que produz e consome, e deixou-se de cuidar das crianças e dos idosos? Cada vez mais crianças e idosos são deixados aos cuidados de instituições ao invés de estarem a ser cuidados e mimados pelos seus familiares, o que geram sintomas físicos dos mais variados e que são tratados na maioria das vezes como “doença” e não um grito de “socorro do cuidem e me amem por favor”!

Onde anda o nosso compromisso com a vida? Onde anda a nossa responsabilidade com a vida? O que esperamos para o futuro que não estamos a fazer agora? Onde andam os seus filhos ou os seus pais? Quando foi a última vez que ligou para eles e simplesmente esteve ali a ouvir pela enésima vez a mesma história por parte dos pais, ou um breve oi por parte dos filhos? Quando foi a última vez que olhou nos olhos deles e disse o quanto o ama, mesmo que não entenda as suas escolhas?

Penso que só quem já passou pela perda de ente querido compreende na perfeição a importância do viver hoje, do dizer hoje, do tomar cuidado, do amar também através da ação. Mas porque precisamos perder para dar valor?!

Na próxima vez que encontrar uma criança ou idoso com velocidades de ação e resposta tão diferentes da sua lembre de lhes dar tempo, de abrandar e respeitar o tempo deles, porque quando fizer isto vai perceber que esta ação é respeito pelo ser humano no mais profundo do ser dele.

Quando encontrar um deles no elevador, na sala de espera ou fila lembre de ser cordial, de ser simpático, de ser empático…pode ser que as suas palavras ou sua capacidade de ouvir ajude aquele ser na solidão ou dor. Já reparou como os jovens andam a alienar-se da dor e da frustração por meio do fones de ouvido e telemóveis?! Então sorria para eles, meta conversa e verá que eles saem desta bolha para a vida. Queremos um mundo melhor mas o que estamos fazendo na prática?!

Hoje escrevo da saudades que tenho de pessoas especiais para mim que estão longe ou que já partiram, pessoas que com suas risadas e jeito de ser fizeram diferença na minha vida e na vida das nossas filhas. Este ano foi duro para muitos e ficou ainda mais claro quão fugaz é a vida, então pare de adiar os encontros e comece a viver mais o momento atual estando presente não só na sua vida, mas na vida dos que ama, assuma o compromisso de ser e estar com você mesmo e com eles, seja por visitas, seja por telefonemas, seja como for e do jeito que for faça-o por si mesmo e também porque compreende que só quando faz a sua parte terá paz.

Natal é família, mas família somos todos nós, o seu vizinho, o seu primo, a sua cunhada, a sua sogra e sogro, o seu pai e sua mãe, o homem da recolha do lixo, o seu dentista e a sua cabeleireira, a pessoa que lhe serve o almoço e aquela que senta-se ao seu lado no escritório. Somos todos filhos e filhas de Deus (seja Deus quem for para você) então que tal começar a viver isto como uma verdade e parar de julgar o que não entende, de pôr-se aparte ou colocar os outros aparte?

Todas as famílias têm uma pessoa doida, uma extrovertida, outra tímida, outra estudiosa, uma sabichona e outra que faz tudo pelo menor esforço, aquele que corre e o outro que senta no sofá, somos diferentes, estamos em momentos diferentes da vida mas ainda assim somos família. Então, para este mês desejo mesmo ver mais amor de todos os lados e menos doentes nos hospitais, menos velhotes levados lá no dia 23/12 para serem “levantados” no dia 26/12, sim pode parecer doido mas pergunte aos médicos e enfermeiros que conhecer se isto não é o “normal”.

Por respeito a si próprio cuide-se, por respeito a si próprio cuide dos mais velhos e dos mais novos, cuide de quem conhece e de quem desconhece. Porque o amor é semente que plantamos todos os dias por meio das nossas ações. Que a luz do nascer e do morrer sejam sempre uma bênção e nunca uma dor de quem não fez o melhor que poderia quando podia.

Especialmente queria dizer a um casal que convivi pouco mas que tenho em muita alta cota pelo que são e pelo que foram como pais, que nunca Deus nos tira algo, Ele sempre nos dá a possibilidade de descobrirmos outras formas de vivermos e de termos fé. Que o amor que há em vocês alimente outros corações, porque tenha certeza que seria o que a vossa menina iria desejar com o coração lindo que tinha e a força de quem não desistia no primeiro embate.

Em honra aos que partiram sejamos melhores, em honra aos que estão presente sejamos melhores, em honra a nossa vida sejamos melhor para nós mesmos em cada atitude e pensamento.

Um natal de amor e ações para todos.

Jaqueline Reyes

Sê o primeiro dos teus amigos a partilhar esta página!
  • 8
  •  
  •  
  •  
  •