A Minha Casa e Eu: Comprar, Comprar, Comprar

A Minha Casa e Eu: Comprar, Comprar, Comprar

Já falámos aqui sobre como não acumular coisas em casa e deixar fluir a energia. Mas, e se esse “acumular” vem antes da nossa incapacidade de parar de comprar, e não vem de anos (ou décadas) a viver na mesma casa?
Pois é. Muitas(os) de nós têm uma apetência nata para comprar de forma espontânea e impulsiva. É o seu caso? Mesmo que ache que não, continue a ler. Tenho a certeza que alguma destas linhas ressoará dentro de sí!

Acreditem – que eu sei – que nem sempre nos apercebemos que estamos a comprar. O Marketing actual é implacável para os mais desatentos e, com a velocidade com que levamos a vida, podemos chamar “desatenta” a 90% da população. Desde que pomos um pé dentro de um shopping, tudo está pensado para nos fazer gastar. Desde as luzes, à musica ambiente, às ilhas de pechinchas bem à altura da nossa mão, até ao mais recente marketing sensorial, que vai desde o aroma da loja, ao toque muito suave que aquelas calças (mais caras) lhe proporcionam. Tudo está pensado para nos fazer consumir! Acontece contudo, que este consumo muitas vezes não “nos serve”… nem a nós, nem à energia das nossas casas, nem ao ambiente.

Posto isto aqui ficam algumas dicas:

  • Nunca, mas nunca, ir triste para o shopping!

Se está triste, pense primeiro em apanhar ar. Se não lhe apetece sair de casa, ligue às amigas, pegue no pc e oiça as musicas que a(o) fizeram feliz, ou que a(o) fizeram rir (pode mesmo ser o Topo Gigio, a Miss Piggy, ou os Gato Fedorento). Mas o melhor de tudo, é fazer coisas criativas. Pegue em revistas e faça um caderno de recortes tal como fazia na adolescência, mas desta vez, com recortes de viagens que quer fazer, doces que vai experimentar cozinhar “um dia”… enfim. Pode mesmo só pegar numa folha em branco, em lápis de cor e pintar.

Quando está no shopping, o que fazer:

  • Antes de pegar em algo, pense “eu preciso mesmo disto”?

Se precisar, fuja das tendências da estação, opte por cores ou padrões mais clássicos que não ficarão fora de moda daqui a uns meses, e ficará mais feliz com a sua escolha por muito mais tempo.

  • … ou “estou só a comprar por ser barato”?

Muitas vezes as coisas são mesmo ridiculamente baratas. Mas quantas vezes já olhámos para a caixa da bijutaria e pensamos “porque raio comprei estes brincos? Eu nem tenho roupa verde!”😁

  • Nunca compre coisas MUITO caras!

Vai ser muito mais difícil livrar-se delas quanto estiverem a atolar o seu roupeiro.

  • Nunca compre coisas que “são amor à primeira vista”.

Volte à loja noutro dia e veja se quer mesmo aquela peça.

  • Nunca compre roupa sem experimentar.

Especialmente se veste números maiores. É uma tentação, quando fugimos dos espelhos das lojas, pegar nos XL e sair “a correr” da loja. Mas quantas destas peças acabam sem nunca terem sido vestidas?

  • Não compre só por que é giro.

“Giro”, não é adjectivo suficiente para pagar e levar para casa. Compre só os “lindos de morrer”, “super confortáveis”, e os que, ao experimentar, a(o) façam sorrir. 😀

Espero que tenham gostado. Se quiser acrescentar uma dica, faça-o pela página do facebook ou na caixa de comentários abaixo.

Até lá,
Boas Compras e Vivam a cores 😉

Mariana Mendes

Spread the love
0