A Minha Casa e Eu: O Feng Shui em casa (Parte 1)

A Minha Casa e Eu: O Feng Shui em casa (Parte 1)

Aproveito esta oportunidade para vos falar sobre os Remédios do Feng Shui, desta feita usando como inspiração um livro que acho muito interessante, “FENG SHUI, A arte chinesa de viver em harmonia com o que nos rodeia”, de Richard Craze.

Afinal de contas, tomar conta da nossa casa é mais do que aspirar e limpar o pó. 😉

O uso destes oito elementos fazem toda a diferença na construção e manutenção da harmonia no seu lar. Devemos sempre começar por observar a nossa casa, tentar perceber qual o propósito de cada divisão ou espaço, e usar estes elementos para obter o equilibrio esperado.

Luz. A luz é fundamental como remédio para os cantos ou zonas mais escuras da casa (que devem ser evitadas a todo o custo). A luz pode ser obtida com um candeeiro suave (e sempre sem se ver a lâmpada), ou pode também ser usado um espelho para aumentar a luminosidade nestas zonas da casa.

Vida. A vida pode ser dada a um local através de um vaso de plantas (sempre de folhas redondas). Nunca usar folhas ou flores secas que além de não representarem “vida” (só servem para ganhar pó). Se possível tenha um aquário (sempre com numero impar de peixes). Se não poder ter peixes verdadeiros pode usar peixes “simbólicos” (pintados ou em cerâmica, mas sempre em numero impar).

Dispositivos mecânicos. São perfeitos para acelerar o *Chi de uma determinada zona. Objectos como um telefone antigo, um barco ou uma máquina fotográfica servem perfeitamente este propósito.

Cor. Diria eu que é a mais fácil de conseguir, qualquer conjunto de molduras coloridas, vaso de violetas, almofadas, coberta de cama, podem trazer boa energia e até alegria ao local.

Movimento. Ajuda a revitalizar o Chi e pode ser conseguido com uma fonte e água (idealmente), campainhas de vento, um móbil, ou mesmo, o fumo de um incenso.

Calma. Ideal para fomentar o relaxamento. Pode ser uma peça religiosa ou espiritual, como os tão famosos Budas, um quadro de alguém descansando, ou outra imagem que inspire à tranquilidade.

Som. É suposto ser um som suave e harmonioso, além das campainhas de vento pode perfeitamente ser um relógio com um suave tique-taque, ou deixar uma música a tocar baixinho sempre que esta em casa.

Linhas rectas. Podem tanto ser um problema (e precisamos de interromper uma parede ou vigas de grande dimensão) ou ser um remédio quando o chi precisa de acelerar e nesse caso o remédio é desimpedir a parede.

*Chi – Nome dados pelos Chineses à Energia imaterial universal e omnipresente que flui pelas nossas vidas, e pelas nossas casas.

No próximo artigo, veremos dicas para cada zona da sua casa. Qualquer dúvida ou comentário, não hesitem… usem a caixa de comentários abaixo, ou respondam ao nosso post no Facebook.

Até lá divirtam-se, e Vivam a Cores! 🙂 

Spread the love
0