Risos…

…quando o viver e o partir se aproximam, seja pela razão que for, é hora de olhar para vida com amor e gratidão, é o momento exato para deixar de “ofensas” e dar o seu melhor para si mesmo e para todos, porque em última instância é quando pode deixar ir o que não pode levar consigo: sentimentos bons ou maus!

As pessoas em geral não gostam de falar sobre o morrer, mas é um ritual tão importante quanto o nascer ou o viver. Nem mais e nem menos importante, e se pensar que é a única certeza que temos depois de nascer então talvez fosse bom de começarmos a trabalhar sobre o assunto de forma mais coerente e clara. Não estou falando para cultuarmos a partida, mas para vivermos melhor a vida hoje, para deixarmos de adiar a vida e as pontes todas que queremos cruzar para nos sentirmos mais completos.

Independente da sua crença filosófica ou religiosa, é fato que nascemos e morremos, é fato que só nascemos com corpo e morremos com o corpo, então me faz alguma impressão o fato de cuidarmos tão pouco do corpo e da qualidade de vida que temos. A quantidade de pessoas que chegam para a consulta completamente alquebradas, quando poderiam ter vindo mais cedo e aí os tratamentos seriam mais suaves, as mazelas menores e o os resultados mais “rápidos”, e tudo porque amanhã é dia!

Bem, vamos começar por tornar claro que amanhã é algo que pode ou não acontecer, então tudo é hoje! É hoje logo que acorda que deve agradecer por mais um dia, agradecer por estar viva e pelas pessoas todas que estão a sua volta, sem nem ter saído da sua cama quentinha é começar por uma oração simples de gratidão. A seguir um pequeno almoço que realmente alimente o seu corpo e a sua alma, sim porque há comidas que são alimentos da alma, o cheiro do café, que é bom para o cérebro, já traz a sensação de bom dia e força na vida. A manteiga biológica ou feita em casa, que lubrifica as articulações, num pão de sementes é nutritivo e sabe tão bem. Ou então uma papa de aveia feita com carinho para nutrir a alma e prevenir radicais livres. As frutas da estação com farelo de aveia ou de trigo que dão cor ao dia e nutrem o corpo como um todo. Sim, comer é um ato divino se pensarmos no que estamos a fazer e a razão de cada alimento para o nosso bem-estar. Assim é a vida, um passinho de cada vez e no final do dia serão muitos os que demos em direção a vida.

A seguir lembra de ir conscientemente para o trabalho ou atividade que exerça, atenção plena que exercita o cérebro e o mantém no presente momento que é onde deve estar e de onde pode mudar o que quer que seja na vida. Estar presente em tudo de forma clara é tornar-se responsável por tudo o que lhe acontece e isto reduz a probabilidade de vitimização e de perder-se pelo caminho nas energias e vontades dos demais, que nem sempre são as mesmas que precisa ou quer para si mesmo.

E assim por diante, estamos a viver como se tudo fosse para ontem ou para amanhã, e o hoje fica perdido entre devaneios do futuro e saudades do passado, isto quando não há o sentimento do arrependimento pelo que não se fez ou pelo que se fez… enfim, presta atenção na vida neste momento. Qual é o seu momento agora, com o que conta e para onde quer ir a partir deste ponto que se encontra?

Os sintomas aparecem para nos acordar, para nos fazer ver que estamos na contramão da nossa vida, para nos ligar ao amor e ao perdão. Mas se mesmo doente não conseguir ver estes sinais e trabalhar com eles, então garanto que o caminho será mais dolorido, porque os sintomas não são formas de sermos castigados por algo, até porque muitos perguntam: porque eu?!?!

E por que razão não deveria ser contigo se anda a fazer tudo de forma inadequada?!?! Se anda infeliz e a tratar-se mal com comidas, cigarros, bebidas e tudo de forma exagerada ou desequilibrada?!?!

Penso que o tema da morte tem sido tratado como algo tão longe que nem nos preparamos direito para este momento. E por favor não vamos entrar em neuras a cerca do tema, vamos só ser práticos, se tem muitos bens materiais certifique-se de quem os herda os quer de fato, não deixe fardos para ninguém resolver porque ainda gera na pessoa o sentimento de infelicidade, porque deveria ser grato e está sentindo completamente abarrotado com tarefas que não queria e nem precisava. Ou seja, de novo a honestidade e a empatia, porque falar clara e abertamente sobre os temas da vida ajudam a deixar tudo mais organizado, tudo no lugar certinho ou mais próximo disto que se possa.

Sou apologista da vida, mas viver assim meio dormindo, ensonado ou inconsciente faz-me confusão, porque é um desperdício de uma bênção linda. A vida é um presente, deveria ser visto assim, ainda que nem tudo corra lindamente, ainda que as dores e as perdas ou mesmo os reveses da vida sejam mais do que muitos, mas sabe se não olhar para o copo como meio cheio, vai passar a vida reclamando do que poderia e nunca chegará onde de fato pode estar: presente!

Saúde é um bem precioso, é uma planta que deve ser cuidada todos os dias, é a sua planta da vida e precisa de olhar para ela com olhos de ver. Quer mais saúde? Quer mais amigos? Quer um amor profundo e duradouro? Quer realização profissional? Sonha correr uma maratona? Gostava de dar a volta ao mundo? São milhões de possibilidades, milhares de pontes e sonhos, mas a única coisa que as separam de você é a sua atitude. O que está a fazer para ser? O que anda a não respeitar ou quem, porque a vida pede por respeito e autorrespeito para acontecer devidamente.

Estamos em tempos de mudanças de paradigmas, hoje falamos de trabalho e criatividade ou capacidade de adaptação a multitarefas, porque o tal do emprego para vida já foi, a estabilidade é ser muito capaz e ir a luta. Falamos de masculino e feminino, mas também de todos os gêneros porque o masculino e o feminino ficaram “pequenos” para caber a diversidade do ser humano, embora eu tenha cá muitas dúvidas sobre onde isto vai dar, porque não deixamos de ser homens e mulheres que podem ter gostos e preferências sexuais próprias, mas é para verem que tudo o que um dia esteve posto e assente hoje já não é bem assim. Então pare de colocar a cabeça dentro do buraco escuro do “não sei” e do “não faço escolhas”, que isto não leva a lado algum e precisa de ir para algum ponto ou então se perde mesmo.

Resumindo tudo, a vida precisa de você inteiro e vivo, caso não esteja assim procure ajuda e cuide-se! Porque até para morrer precisamos estar bem!

Que o outono seja tempo de interiorização e reflexão, que seja tempo de cuidar de si mesmo e da vida.

Jaqueline Reyes

Sê o primeiro dos teus amigos a partilhar esta página!
  • 25
  •  
  •  
  •  
  •